Sexo e a cidade 2 – A crítica que faltava

Sim, sim … só agora é que vi o filme. Não percebo mais uma vez o alarido à volta deste filme a série é melhor. Como diria o chinês “outra vez arroz”, mais do mesmo. Mas isso não interessa nada.

Falemos das coisas estranhas que se vê neste filme.

1º - Quem é que anda em casa como se fosse para um casamento? P’la mor de Deus. Não me venham com coisas do glamour e pardais ao cesto que eu cá não ando de Dior, ou no meu equivalente financeiro ZARA pela casa na hora do conforto. Esta gente não tem pijamas?
(Ai amor fico tão confortável no sofá de vestido e saltos altos ...)
2º - Quem é que vai para o deserto de salto alto ?!

3º - Quem era capaz de sair com isto à rua ponha a mão no ar! Não? Ai, eu fazia um sucesso do caraças com isto. Aliás deve ser maravilhoso conduzir com esta saia! Já visualizo um tufo lilás ...

4º - Quem é que anda em casa com duas crianças com roupa que custa mais que o meu carro?
Posto isto, viva a Samantha que continua badalhoca mesmo aos 52!

9 comentários:

João Bastos disse...

Para quando um filme porno com a Samantha?????

Cate disse...

A Samantha é a única que salva o filme!

catherine disse...

Epa não vi nenhum filme desses, nem a série! Acho estupido! Mas depois oiço as conversas das gajas todas à minha volta e sinto-me um ser estranho por não ver e não gostar...

Nervos em frangalhos disse...

Viva a Samanta mesmo que é o que salva o filme! De resto concordo, concordo, concordo. E os sofás são Suuuuuuuper confortáveis. Eu cá sentava-me no chão se fosse a casa da Carrie. E o apartamento dela na série tinha muito mais graça.

Nervos em frangalhos disse...

Viva a Samanta mesmo que é o que salva o filme! De resto concordo, concordo, concordo. E os sofás são Suuuuuuuper confortáveis. Eu cá sentava-me no chão se fosse a casa da Carrie. E o apartamento dela na série tinha muito mais graça.

mundoameuspés disse...

É tudo mto "in" lolol

lampâda mervelha disse...

Quem é que oferece um plasma à mulher?

Rosa Cueca disse...

Também foi a única coisa tolerável no filme, a Sam.

Analog Girl disse...

A meu ver nem a Samantha salvou a honra do convento. Achei que aquela badalhoquice toda já é absurda demais. Nenhuma mulher inteligente com 52 anos põe em risco uma oportunidade de carreira por causa de sexo. Mas também não se pode dizer que este é um filme realista...
De resto estou totalmente de acordo com a tua crítica!